Plásticos no meio ambiente

impacto do descarte inadequado

Autores

Palavras-chave:

Plástico, Descarte, Resíduos Sólidos, Educação Ambiental, Resíduos Recicláveis

Resumo

Os plásticos, como são conhecidos vulgarmente, são materiais poliméricos que podem ter origem natural ou sintética, a partir de fontes ditas renováveis ou originado de derivados do petróleo. Sua origem data do início do século passado e trouxe inúmeras facilidades à vida moderna. Em decorrência de sua praticidade e resistência tornou-se um dos materiais mais empregados no mundo. Entretanto, o tempo que leva para se degradar o transformou em fonte de um enorme problema ambiental. A Organização das Nações Unidas (ONU), através de estudos, mostra que a humanidade produz aproximadamente 2 bilhões de toneladas de lixo por ano, sendo que deste total, 78 milhões de toneladas de resíduos sólidos são originado no Brasil, cuja composição apresenta cerca de 14% de plástico, caracterizando o país como um dos maiores produtores de lixo plástico no mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos, China e Índia. Baseado nesse contexto, o presente estudo visa demonstrar os impactos do descarte inadequado dos materiais plásticos no país através de estudos bibliográficos e, desta forma, apresentar alternativas para o aproveitamento através da reciclagem e beneficiamento do material em questão, mostrando que toda ação, individual ou em conjunto, pode auxiliar na mitigação deste problema ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRELPE, 2021, Panorama dos resíduos sólidos no Brasil, Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Disponível em: ‹ https://abrelpe.org.br/panorama/› Acesso em 22 de agosto de 2022.

AGÊNCIA SENADO. SENADO FEDERAL. Aumento da produção de lixo no Brasil requer ação coordenada entre governos e cooperativas de catadores. 2021. Disponível em: < https://www12.senado.leg.br/noticias/infomaterias/2021/06/aumento-da-producao-de-lixo-no-brasil-requer-acao-coordenada-entre-governos-e-coopera tivas-de-catadores>. Acesso em 16 de setembro de 2022.

ALVES, A. A. N.; RIBEIRO, M. F.; RICCI, V. S. O uso de sacolas plásticas pelos clientes de supermercados e seu impacto sobre a natureza. Revista Ciências do Ambiente, v. 7, n. 1, p. 19-23, 2011.

ARAÚJO, M. C. B.; CAVALCANTI, J. S. S. Dieta indigesta: milhares de animais marinhos estão consumindo plásticos. Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade, v. 10, n. 5, p. 74- 81, 2016.

BARROS, D. F. A Redenção do Consumo: o Caráter Denegatório do Consumo Consciente. IV Encontro de Marketing da ANPAD. 2010.

BRITTO, J. Diversificação, competências e coerência produtiva. In: KUPFER, D., HASENCLEVER, L. (org.). Economia Industrial: Fundamentos Teóricos e Práticas no Brasil. Rio de Janeiro: Campus. P 307-343. 2012.

CARNEIRO, T. M. A.; SILVA, L. A.; GUENTHER, L. A. S. A poluição por plásticos e a educação ambiental como ferramenta de sensibilização. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 16, n. 6, p. 285-300, 2021.

DINÂMICA AMBIENTAL. Principais consequências do descarte incorreto do lixo. Disponível em: <https://www.dinamicambiental.com.br/blog/meio-ambiente/saiba-principais-consequencias-descarte-incorreto-lixo/>. Acesso em: 22 de agosto de 2022.

DUARTE, J. P. (2019). Caracterização de microplástico suspenso no ar na unidade de separação de resíduos, LIPOR. Dissertação (Mestrado em Ciências e Tecnologia do Ambiente - Riscos: Avaliação e Gestão Ambiental). Faculdade de Ciências. Universidade do Porto.

EQUIPE ECYCLE. Prós e contras do plástico para o meio ambiente. Disponível em: <https://www.ecycle.com.br/plastico-no-meio-ambiente/>. Acesso em: 22 de agosto de 2022.

GUENTHER, M.; SOUZA, J. M.; CARVALHO, E. E. B.; ARRUDA, G. A. A.; SOUZA, A. T. P.; PEREIRA, R. K. M.; ABREU, T. M. Q.; SILVA, L. A. Implementação de composteiras e hortas orgânicas em escolas: sustentabilidade e alimentação saudável. Revista Brasileira de Educação Ambiental. v. 15 n. 7, p. 391–409, 2020.

HARDING, S. Marine debris: understanding, preventing and mitigating the significant adverse impacts on marine and coastal biodiversity. Technical Series No.83. Montreal: Secretariat of the Convention on Biological Diversity, Montreal, 2016. 78 p.

HEIDBREDER, L. M., BABLOK, I., DREWS, S., & MENZEL, C. Tackling the Plastic Problem: A Review on Perceptions, Behaviors, and Interventions. Science of the Total Environment, 668, p. 1077–1093. 2019.

LI, W. C.; TSE, H. F.; FOK, L. Plastic waste in the marine environment: a review of sources, occurrence and effects. Science of The Total Environment, v. 566–567, p. 333-349, 2016.

NAÇÕES UNIDAS – BRASIL, UN, Assembleia ambiental da ONU: atenção total em acordo global sobre poluição plástica. 2022. Disponível em: < https://brasil.un.org/pt-br/173694-assembleia-ambiental-da-onu-atencao-total-em-acordo-global-sobre-poluicao-plastica> Acesso em 16 de setembro de 2022.

OLIVEIRA, J. L. S.; SOUZA, C. A. A. Plástico no meio ambiente: Características gerais e impacto socioambiental. In: CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISA E ENSINO EM CIÊNCIAS – CONAPESC, IV, Campina Grande-PB, 2019. Ago. 2019.

PARENTE, R. Elementos estruturais de plástico reciclado, Dissertação de M.Sc., USP, São Paulos, SP, Brasil. 2016.

PINTO, M. R.; BATINGA, G. R. O consumo Consciente no Contexto do Consumismo Moderno: Algumas Reflexões. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, 14(1), 30-43. 2016.

SANTOS, G. D. S. Análise e perspectivas de alternativas de destinação dos resíduos sólidos urbanos: o caso da incineração e da disposição em aterros, Dissertação de M.Sc., COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. 2010.

SILVA, C. O.; SANTOS, G. M.; SILVA, L. N. A degradação ambiental causada pelo descarte inadequado das embalagens plásticas: estudo de caso. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, v. 13, n. 13, p. 2683-2689, 2013.

SIMPESC. Sindicato da Indústria de Plástico do estado de Santa Catarina. 2006. Disponível em: Acesso em 22 de agosto de 2022. WWF - Fundo Mundial para a Natureza. Brasil é o 4º país do mundo que mais gera lixo plástico. 2022. Disponível em: <https://www.wwf.org.br/?70222/Brasil-e-o-4-pais-do-mundo-que-mais-gera-lixo-plastico>. Acesso em: 16 set. 2022.

ZAMORA, A. M. et al. Atlas do Plástico. Fundação Heinrich Boll Stiftung. 2020. Disponível em: <https://br.boell.org/sites/default/files/2020-11/Atlas%20do%20Pl% C3%A1stico%20-%20vers%C3%A3o%20digital%20-%2030%20de%20novembro% 20de%202020.pdf>. Acesso em: 16 set. 2022.

Downloads

Publicado

28-10-2022

Como Citar

Tulio Cezar de Aguiar Oliveira, Izabel de Oliveira da Mota, Sérgio Roberto Montoro, & Cirlene Fourquet Bandeira. (2022). Plásticos no meio ambiente: impacto do descarte inadequado. Congresso Brasileiro De Ciências E Saberes Multidisciplinares, (1), 1–8. Recuperado de https://conferencias.unifoa.edu.br/tc/article/view/62

Edição

Seção

Ciências Exatas, Tecnologias e Engenharias

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>