Visão Geral sobre a Prevenção Primária da Doença Arterial Coronariana

Autores

  • Terezinha Eliza Ferreira Costa Panizzi Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.
  • Lucas Medeiros Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.

Palavras-chave:

-

Resumo

Introdução As doenças cardiovasculares lideram os índices de morbidade e mortalidade no Brasil e no mundo, sendo a doença arterial coronariana (DAC) a causa de um grande número de mortes e de gastos em assistência médica. 1 As cardiopatias como um todo representam 76% dos óbitos no mundo. No Brasil, a doença arterial coronariana é a segunda maior causa de morte e o infarto agudo do miocárdio (IAM) é a principal causa isolada de morte entre as doenças não transmissíveis.2 O avanço dos métodos diagnósticos, o melhor entendimento da fisiopatologia dos eventos coronarianos, a eficiência das medidas de prevenção cardiovasculares e a utilização de fármacos têm permitido modificar a evolução e o prognóstico da DAC. Essas ferramentas contribuíram, de um lado, para um aumento da sobrevivência e, de outro, para o prolongamento das possíveis comorbidades desencadeadas pelas doenças crônicas.3 Assim, tais condições poderão interferir no estado emocional, físico, social e, principalmente, na qualidade de vida. Qualidade de vida é uma expressão com diferentes representações, sendo hoje uma importante medida de desfecho, muito mencionada nos últimos tempos, seja na linguagem cotidiana ou no contexto científico.3 Está bem estabelecido que o monitoramento e o controle dos fatores de risco cardíaco são fundamentais para os programas de prevenção e intervenção através da reabilitação cardíaca. Com o avanço das pesquisas a respeito do assunto, foram descobertas medidas de prevenção sobre os fatores de risco modificáveis, que incluem a diminuição dos níveis de colesterol, obesidade e hipertensão, evitando um estilo de vida sedentário e a opção por escolhas alimentares saudáveis e abandono do tabagismo.4 Portanto, dada a prevalência significativa da enfermidade em questão e a importância e a eficiência da sua prevenção primária, presume-se que seja relevante um estudo mais aprofundado e didático a cerca do assunto e esta é a pretensão dessa revisão bibliográfica.

Referências

PINHO, Ricardo Aurino de et al. Doença Arterial Coronariana, Exercício Físico e Estresse Oxidativo. Sociedade Brasileira de Cardiologia, Criciúma-sc, p. 549-555. 03 mar. 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abc/v94n4/v94n4a18.pdf>. Acesso em: 29 out. 2013.

SILVA, Monique Suelen de Moura e; OLIVEIRA, Juliana Flavia. Reabilitação Cardíaca após Infarto Agudo do Miocárdio: Revisão Bibliográfica. Corpus Et Sciencia, Rio de Janeiro, v. 09, n. 01, p.855-981, 09 abr. 2013. Disponível em: <http://apl.unisuam.edu.br/revistas/index.php/corpusetscientia/article/view/195>. Acesso em: 29 out. 2013.

TAKIUTI, Myrthes Emy et al. Aplicação de questionários de qualidade de vida na doença arterial coronariana. Moreira Jr, São Paulo, v. 70, n. 06, p.226-226, 09 jun. 2013. Disponível em: <http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=5406>. Acesso em: 29 out. 2013.

MEDICAL, News. Prevenção da Doença Arterial Coronariana. Disponível em: http://www.news-medical.net/health/Coronary-Artery-Disease-Prevention- (Portuguese).aspx#.Acesso em: 29 out. 2013.

HENNEKENS, Charles H et al. Visão geral da prevenção primária da doença coronariana e acidente vascular cerebral, 14 set. 2013.

MENDES, Gislaine A. et al. Perfil Lipídico e Efeitos da Orientação Nutricional em Adolescentes com História Familiar de Doença Arterial Coronariana Prematura. Sociedade Brasileira de Cardiologia, São Paulo, p. 361-365. 13 mar. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abc/v86n5/29498.pdf>. Acesso em: 29 out. 2013.

ZIMMERMANN, Alice Mesquita; KIRSTEN, Vanessa Ramos. ALIMENTOS COM FUNÇÃO ANTIOXIDANTE EM DOENÇAS CRÔNICAS: UMA ABORDAGEM CLÍNICA. Ciências da Saúde, Santa Maria, p. 51-68. 20 mar. 2008. Disponível em: <http://sites.unifra.br/Portals/36/CSAUDE/2008/05.pdf>. Acesso em: 29 out. 2013.

MEDICAL, News. Dietas e Doença Arterial Coronariana. Disponível em: http://www.news-medical.net/health/Coronary-Artery-Disease-Preventive-Diets-(Portuguese).aspx .Acesso em: 29 out. 2013.

GABRIEL, Sthefano Atique et al. Doença arterial obstrutiva periférica e índice tornozelo-braço em pacientes submetidos à angiografia coronariana. Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. 2007, vol.22, n.1, pp. 49-59. ISSN 0102-7638. Diponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-76382007000100011. Acesso em: 29 out. 2013. V Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. Sociedade Brasileira de Cardiologia, p.e24-e79. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abc/v89n3/a12v89n3.pdf>. Acesso em: 29 out. 2013.

POZZAN, Roselee et al. Dislipidemia, Síndrome Metabólica e Risco Cardiovascular.Revista da Socerj, Rio de Janeiro, v. 17, n. 2, p.97-104, 20 abr.

Disponível em: <http://sociedades.cardiol.br/socerj/revista/2004_02/a2004_v17_n02_art04.pdf>. Acesso em: 30 out. 2013.

FREITAS, Elizabete Viana de. Triglicerídeos e Doença Arterial Coronariana. Revista da Socerj: Revista Brasileira de Cardiologia, Rio de Janeiro, n. , p.45-49, 17 mar. 2004. Disponível em: <http://www.rbconline.org.br/wpcontent/uploads/a2004_v17_n01_art06.pdf>. Acesso em: 30 out. 2013.

DE BIASE, Simone Grigoletto; FERNANDES, Sabrina Francine Carrocha; GIANINI, Reinaldo José and DUARTE, João Luiz Garcia. Dieta vegetariana e níveis de colesterol e triglicérides. Arq. Bras. Cardiol. 2007, vol.88, n.1, pp. 35-39. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2007000100006>. Acesso em: 30 out. 2013.

SANTOS, Maria Gisele dos; PEGORARO, Marina; SANDRINI, Fabiano and MACUCO, Emílio César. Fatores de risco no desenvolvimento da aterosclerose na infância e adolescência. Arq. Bras. Cardiol. 2008, vol.90, n.4, pp. 301-308.

Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2008000400012>. Acesso em: 30 out. 2013.

LOPES, Heno Ferreira. Hipertensão e inflamação: papel da obesidade. Rev Bras Hipertensão, São Paulo, v. 14, n. 4, p.239-244, 26 out. 2007. Disponível em: <http://departamentos.cardiol.br/dha/revista/14-4/07-obesidade.pdf>. Acesso em: 01 nov. 2013.

SCHAAN, Beatriz D'Agord; HARZHEIM, Erno and GUS, Iseu. Perfil de risco cardíaco no diabetes mellitus e na glicemia de jejum alterada. Rev. Saúde Pública . 2004, vol.38, n.4, pp. 529-536. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102004000400008>. Acesso em: 01 nov. 2013.

GRILLO, Maria de Fátima; CORINI, Maria Isabel. Caracterização de pessoas com Diabetes Melitus tipo 2. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, n. , p.49-54, 03 fev. 2007. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/21036/000621848.pdf?sequence= 1>. Acesso em: 01 nov. 2013.

ARRIOLA, Larraitz et al. O consumo de álcool eo risco de doença cardíaca coronariana em estudo de coorte EPIC Espanhol. Revista Heart, San Sebastian Espanha, n. , p.11-22, 19 nov. 2009. Disponível em: <http://heart.bmj.com/content/early/2009/11/19/hrt.2009.173419.abstract>. Acesso em: 01 nov. 2013

Downloads

Publicado

04-10-2014

Como Citar

Eliza Ferreira Costa Panizzi, T., & Medeiros, L. (2014). Visão Geral sobre a Prevenção Primária da Doença Arterial Coronariana. Congresso Médico Acadêmico UniFOA. Recuperado de https://conferencias.unifoa.edu.br/congresso-medvr/article/view/845

Edição

Seção

Resumos simples

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)