Relato de Caso Clínico

Síndrome Coronariana Aguda

Autores

  • Patrícia Marques Leite Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.
  • Rafaella Pinto Ferraz Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.
  • Elis SHAFRANSKI Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.
  • Fernanda Batista Soares Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.
  • Adson Rodrigues Universidade Gama Filho Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.

Palavras-chave:

Doença Coronariana Aguda, Infarto Agudo do Miocárdio, Vascularização do Miocárdio

Resumo

Introdução: A doença cardíaca coronariana geralmente causada por uma enfermidade chamada aterosclerose, que ocorre quando substâncias gordurosas formam um acúmulo de placa nas paredes das artérias. A aterosclerose humana é um processo crônico, progressivo e sistêmico, caracterizado por resposta inflamatória e fibroproliferativa da parede arterial, causada por agressões da parede arterial. Como processo sistêmico, frequentemente, acomete todos os leitos arteriais incluindo a aorta e seus ramos principais: carótidas, renais, ilíacas e femorais. Isso causa estreitamento das artérias. À medida que as artérias coronárias se estreitam, o fluxo de sangue para o coração pode ser reduzido ou interrompido. Isso pode causar dor no peito (angina estável), falta de ar, taquicardia e outros sintomas, geralmente quando o indivíduo está em atividade. (2009, Arquivo Brasileiro Cardiologia). Apesar de dor ou desconforto no peito ser uma das manifestações mais importantes da doença cardíaca, vale frisar que dor no peito pode também ser sintoma de outro problema, não necessariamente cardíaco. Os seguintes fatores caracterizam a dor no peito e, de acordo com suas características, sugerem qual a origem da dor: tipo e localização da dor, irradiação da dor para outras regiões do corpo, intensidade, duração, fatores desencadeantes e de melhora e piora da dor. A dor no peito, secundária à isquemia miocárdica, tipicamente se manifesta com as seguintes características (ressaltando que, em cada indivíduo, a angina se manifesta sem necessariamente apresentar as características típicas em sua totalidade): dor em aperto, opressão, pressão, peso ou queimação, localizada na região subesternal, ou seja, abaixo do osso esterno (no meio do tórax, entre as costelas). Contudo, a dor pode se localizar em qualquer porção do tórax, mais freqüentemente no meio ou do lado esquerdo, e ainda nos ombros, braços, pescoço, mandíbula, dentes, nas costas (entre as duas escapulas) e até, menos freqüente, na porção superior do abdome. Geralmente se inicia na porção anterior do tórax, pode se irradiar para os ombros, braços, pescoço, mandíbula, dentes e costas. (2008, FERNANDES).

Referências

Doença arterial coronariana. Arq. Bras. Cardiol. [online]. 2009, vol.93, n.6, suppl.3, pp. 282-286.

FERNANDES PM et al. Estado atual da cirurgia de revascularização do miocárdio. Rev Med (São Paulo). 2008 abr.-jun.;87(2):92-8.

LISBOA, L.A.F; MEJÍA, O. A. V; DALLAN, L. A. O; MOREIRA, L. F. P; PUIG, L. B; JATENE, F. B. ; GROPPO, N. A. Intervenção Coronariana Percutânea Prévia como Fator de Risco para Revascularização Miocárdica. Arq Bras Cardiol 2012;99(1):586-595.

LUZ,P.L.; FAVARATO, D. Doença Coronária Crônica. Arq Bras Cardiol. Volume 72, (nº 1), 1999. São Paulo-SP.

PINHO R. A.; ARAÚJO M. C.; GHISI G. L. M., BENETTI M. Doença Arterial Coronariana, Exercício Físico e Estresse Oxidativo. Arq Bras Cardiol 2010;94(4): 549-555.

Downloads

Publicado

04-10-2014

Como Citar

Marques Leite, P., Pinto Ferraz, R., SHAFRANSKI, E., Batista Soares, F., & Rodrigues Universidade Gama Filho, A. (2014). Relato de Caso Clínico: Síndrome Coronariana Aguda. Congresso Médico Acadêmico UniFOA. Recuperado de https://conferencias.unifoa.edu.br/congresso-medvr/article/view/818

Edição

Seção

Resumos simples

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)