Ebóla Virus

fatos, diagnóstico e tratamento. Como atua o ZMAPP?

Autores

  • Ana Cláudia Baylão Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.
  • Ana Luiza do Paço Baylão Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.
  • Bárbara Ferreira Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.
  • Guilherme Furtado Cunha Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.
  • Natalia Simões Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.
  • Thaiane Freitas Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.
  • Carlos Alberto Lacerda Pinto Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.
  • Miguel de Lemos Neto Centro Universitário de Volta Redonda, Volta Redonda, RJ - UniFOA.

Palavras-chave:

-

Resumo

Introdução: O Ebola é uma infecção viral aguda e severa cuja transmissão inicialmente se deu através do contato direto entre humanos e sangue, secreções, órgãos e fluidos de primatas e, atualmente, entre humanos. O quadro clínico da febre hemorrágica do ebola caracteriza-se por febre de início súbito, astenia, mialgia, cefaléia e dor de garganta, seguida de vômitos, diarréia, rash, injúria renal e hepática e, em alguns casos, hemorragias. O período de incubação varia de 2 a 21 dias. É uma doença de difícil diagnóstico devido aos sintomas altamente inespecíficos, comuns a diversas doenças. (WHO; 2014). Ainda não existem vacinas ou tratamento específicos, ficando restrito à terapia de suporte, mantendo o balanço hidroeletrolítico do paciente, sua oxigenação e níveis pressóricos e tratando possíveis infecções secundárias. Neste contexto, pesquisadores elaboraram um coquetel composto por uma combinação de anticorpos monoclonais nomeada ZMapp, que parece ser eficaz para controle do ebola. O tratamento experimental foi administrado em poucos humanos que, em sua maioria, apresentaram significativa melhora clínica. Apesar de não estar claro ainda se a melhora surgiu em resposta ao tratamento experimental ou a fatores endógenos, o ZMapp é o que mais se aproxima de um tratamento futuro para esta infecção. (ZHANG; LI; HUANG; QIU; FAUCI; 2014). Objetivos: O presente estudo tem por objetivo realizar uma revisão da literatura médica existente acerca do Ebola, com enfoque no tratamento experimental ZMapp. Metodologia: Foram levantados os mais recentes artigos sobre o tema nas bases de dados PUBMED, MEDLINE, SIELO, BVS. Discussão: O ZMapp trata-se de uma combinação de três anticorpos monoclonais contra a proteína GP do vírus Ebola, produzidos em uma espécie de planta transgênica,Nicotiana benthamiana, desenvolvida por duas empresas farmacêuticas, uma norte-americana e uma canadense. Esta foi a primeira droga capaz de tratar pacientes infectados pelo Ebola. Em agosto de 2014, dois médicos americanos apresentando quadros graves da doença foram curados após a administração do ZMapp. Posteriormente, quatro pacientes receberam o mesmo tratamento. Destes, três apresentaram melhora significativa e o outro faleceu. Com os resultados favoráveis destes tratamentos experimentais criou-se a expectativa da produção em massa da droga para reduzir a letalidade da doença. Entretanto, apesar da taxa de sucesso parecer animadora, não há trabalhos científicos contundentes a respeito da eficácia do ZMapp em humanos. (ZHANG; LI; HUANG; QIU; FAUCI; 2014). Conclusão: Devido a carência de estudos comprobatórios acerca do ZMapp, até o momento, a maneira mais eficaz de controlar as epidemias de ebola é através da identificação precoce dos casos, isolamento e tratamento de suporte, em adição a medidas de educação populacional sobre a doença. Devido à alta virulência, curso severo e prognóstico reservado, é notória a necessidade do desenvolvimento de vacinas e protocolos seguros e eficazes contra o vírus Ebola, visando a prevenção e proteção da saúde das populações.

Referências

FAUCI, A. S. Ebola — Underscoring the Global Disparities in Health Care Resources. N Engl J Med. Set, 2014. QIU, X. et al. Reversion of advanced Ebola virus disease in nonhuman primates with ZMapp. Nature, 2014. doi:10.1038/nature13777.

WHO. Ebola Virus Disease, 2014. ZHANG, Y.; LI, D.P.; JIN, X.; HUANG, Z. Fighting Ebola with ZMapp: spotlight on plant-made antibody. Sci China Life Sci, doi: 10.1007/s11427-014-4746-7.

Downloads

Publicado

04-10-2014

Como Citar

Baylão, A. C., do Paço Baylão, A. L., Ferreira, B., Furtado Cunha, G., Simões, N., Freitas, T., Lacerda Pinto, C. A., & de Lemos Neto, M. (2014). Ebóla Virus: fatos, diagnóstico e tratamento. Como atua o ZMAPP?. Congresso Médico Acadêmico UniFOA. Recuperado de https://conferencias.unifoa.edu.br/congresso-medvr/article/view/771

Edição

Seção

Resumos simples

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)