Educação Ambiental

aprendizagem significativa

Autores

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Aprendizagem significativa, Vigotsky, Ausubel, Chassot

Resumo

Há a necessidade de utilizar novos métodos para uma educação ambiental mais efetiva. Logo um pensamento crítico na qual as vivências dos estudantes façam parte de um planejamento de aulas com enfoque nessas vivências e na produção de materiais potencialmente significativos podem ser a chave para o despertar de predispostos nos estudantes para que os temas curriculares sejam aprendidos de maneira significativa, e os novos conhecimentos possam fazer parte da estrutura cognitiva dos aprendizes. Ao debater a importância do meio ambiente em sala de aula o professor precisa demonstrar que é o ser-humano parte integrante desse contexto e que impactos ambientais refletirão em impactos sociais. Este é um texto de revisão de bibliografia como fundamentação teórica para debater a aprendizagem significativa no contexto da educação ambiental e a importância de se trabalhar com subsunçores para se alcançar essa aprendizagem significativa; assim como traz a comparação entre a teoria sociocultural de Vigotsky e a teoria da aprendizagem significativa de Ausubel, apontando similaridades e demonstrando a importância de educadores utilizarem os conhecimentos prévios dos estudantes no ensino e no desenvolvimento de suas potencialidades, também a importância desses conceitos para o despertar educação ambiental crítica efetiva nas escolas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BASSO, Lenir Zanon; MALDANER, Otávio Aloisio. A Química Escolar na Inter-Relação com Outros Campos do Saber. In: Ensino de química em foco. Luiz Pereira dos Santos; Otavio Aloisio Maldaner. Ijuí: Editora Unijuí, 2011.

BOMFIM, A. M. do; PICCOLO, F. D. EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA: A QUESTÃO AMBIENTAL ENTRE OS CONCEITOS DE CULTURA E TRABALHO. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, [S. l.], v. 27, 2013. DOI: 10.14295/remea.v27i0.3236. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/3236. Acesso em: 25 mar. 2022.

CABRAL, Nataniel Freitas. Sequências didáticas: estrutura e elaboração. Belém: SBEM – PA. 2017. Disponível em: http://www.sbembrasil.org.br/files/sequencias_didaticas.pdf Acesso: 20 abr. 2022.

CHASSOT, Attico. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 8 ed. Injuí: Editora Unijuí, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Editora Paz e Terra, 1996.

GARCIA, Maristela de Lima. Consciência Ambiental e Social: Novas Demandas Educacionais da Sociedade do Conhecimento. In: Aprendizagem significativa. Adriano Silva de Almeida et. al. 1 ed. São Paulo: SL Editora. 2020.

GRÜN, Mauro. A IMPORTÂNCIA DOS LUGARES NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL. REMEA - Revista Eletrônica Do Mestrado Em Educação Ambiental, 2013. Disponível em: https://periodicos.furg.br/remea/article/view/3384 Acesso: 20 fev. 2022.

JEOVANIO-SILVA, Vanessa Regal Maione; JEOVANIO-SILVA, André Luiz; CARDOSO, Sheila Pressentin. Guia prático em educação ambiental: sensibilizando de forma crítica, transversal e lúdica. Revista de Educação, Ciências e Matemática, v. 9, n. 2, 2019. Disponível em: http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/recm/article/view/4919 Acesso: 07 mar. 2022.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. PARA ONDE VAI A EDUCAÇÃO AMBIENTAL? O CENÁRIO POLÍTICO-IDEOLÓGICO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA E OS DESAFIOS DE UMA AGENDA POLÍTICA CRÍTICA CONTRA-HEGEMÔ NICA. Revista contemporânea de Educação, v. 7, n. 14, p. 388-411, 2012. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rce/article/view/1677/1526. Acesso 16 mar. 2022.

LAYRARGUES, Philippe Pomier; LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. Mapeando as macro-tendências político-pedagógicas da educação ambiental contemporânea no Brasil. Encontro Pesquisa em Educação Ambiental, v. 6, p. 1-15, 2011. Disponível em: http://www.epea.tmp.br/viepea/files.epea2011.webnode.com.br/200000132-64f2b65ec6/epea2011-0127-1.pdf . Acesso: 04 mar 2022.

MOREIRA, Marco Antonio. Aprendizagem Significativa: a teoria e textos complementares. São Paulo: Livraria da Física, 2011.

NETO, J. A. da S. P. Teoria da aprendizagem significativa de David Ausubel: perguntas e respostas. Série-Estudos - Periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDB, [S. l.], n. 21, 2013. DOI: 10.20435/serie-estudos.v0i21.296. Disponível em: https://www.serie-estudos.ucdb.br/serie-estudos/article/view/296. Acesso em: 25 mar. 2022

PELIZZARI, Adriana et. al. Teoria de aprendizagem significativa segundo Ausubel. Revista PEC. Curitiba, v.2, n.1, p.37-42, Jul. 2002. Disponível em: https://gpecea-usp.webnode.com.br/_files/200000393-74efd75e9b/MEQII- 2013-%20TEXTOS%20COMPLEMENTARES-%20AULA%205.pdf . Acesso: 17 abr. 2022.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciências. Afrontamento, 1995. Disponível em: https://estudogeral.sib.uc.pt/bitstream/10316/87143/1/Um%20Discurso%20Sobre%20as%20Ciencias_7%20ed_1995.pdf . Acesso: 23 mar. 2022.

SANTOS, Wildson Luiz Perreira et. al. O Enfoque CTS e a Educação Ambiental: Possibilidade de “ambientalização” da sala de aula de Ciências. In: Ensino de química em foco. Luiz Pereira dos Santos; Otavio Aloisio Maldaner. Ijuí: Editora Unijuí, 2011.TAVARES, Romero. Aprendizagem significativa e o ensino de ciências. Ciências & Cognição, v. 13, n. 1, p.94-100, 2008. Disponível em: http://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/687. Acesso em: 22 mar. 2022.

VIGOTSKY, Lev Semionovitch. A formação Social da Mente. Tradução: José Cipolla Neto, Luís Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afache. 7 ed., São Paulo : Martins Fontes, 2007.

Downloads

Publicado

28-10-2022

Como Citar

Raphael Freitas Correia Lopes. (2022). Educação Ambiental: aprendizagem significativa. Congresso Brasileiro De Ciências E Saberes Multidisciplinares, (1), 1–9. Recuperado de https://conferencias.unifoa.edu.br/tc/article/view/29