Resíduos de serviços de saúde e a educação permanente

uma revisão integrativa

Autores

  • Cíntia Cristine da Silva Graduada em Enfermagem (UBM). Aluna do Programa de Mestrado Profissional em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente do Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA), Volta Redonda, Rio de Janeiro, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0544-727X
  • Lucrécia Helena Loureiro Docente no Programa de Mestrado Profissional em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente do Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA), Volta Redonda, Rio de Janeiro, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6905-1194

Palavras-chave:

Educação Permanente, Resíduos Sólidos dos Serviços de Saúde, Hospital

Resumo

Este artigo trata de uma abordagem teórica sobre a temática do Gerenciamento dos Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde (RSS). Objetivou-se discutir as publicações nacionais acerca da Educação Permanente como ferramenta no gerenciamento dos RSS. O método utilizado foi a revisão integrativa, tendo como base a seguinte questão norteadora: Qual a contribuição da Educação Permanente no manejo correto dos RSS? Para tanto, foi realizada uma busca ativa nas bases de dados de saúde Scielo, BVS e Lilacs, entre os meses de janeiro e março de 2020, utilizando os descritores Resíduos dos Serviços de Saúde e Educação Permanente, no idioma português, mediados pelo operador boleano “AND” para ampliar a busca de estudos. Os resultados apontaram que a Educação Permanente é uma ferramenta capaz de contribuir para o conhecimento no gerenciamento dos Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde. Assim sendo, a implantação da Educação Permanente no gerenciamento do RSS na reorganização do trabalho é de suma importância, já que esse conhecimento é um valor necessário para o agir cotidiano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRELPE. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2018/2019. Disponível em: <https://www.migalhas.com.br/arquivos/2020/1/492DD855EA0272_PanoramaAbrelpe_2018_2019.pdf >. Acesso em: 02 de maio de 2020.

ANVISA – AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Resolução nº 222 de 24 de Setembro de 2018. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF. 2018.

BENTO, D.G. et al. O Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde sob a ótica dos profissionais de enfermagem. Texto contexto enferm. vol.26 no.1 Florianópolis. 2017. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072017006680015> Acesso em: 27 maio 2020.

Ministério da Saúde. Portaria nº. 1 996/GM/MS, de 20 de agosto de 2007. Dispõe sobre as diretrizes para a implementação da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde e dá outras providências. Brasília: MS; 2007.

Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial da União. 3 Ago 2010.

CONAMA. Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Resolução nº 358, de 29 de abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 4 mai. 2005.

COSTA, T.F.; FELLI, V.E.A.; BAPTISTA, P.C.P. A percepção dos trabalhadores de enfermagem sobre o manejo dos resíduos químicos perigosos. Revista da Escola de Enfermagem da USP. 2012.

DELEVATI, D.S. et al. Desafios na gestão de resíduos de estabelecimentos de saúde públicos perante a RDC 222/18. Saúde Debate, Rio de Janeiro, v. 43, n. especial 3, p. 190-199. 2019

DIAZ, P.S. et al. Gerenciamento de resíduos: estudo descritivo-exploratório no pronto socorro de um hospital-escola. Online Brazilian Journal of Nursing, v. 12, n. 4, p. 964-74, dez. 2013. ISSN 1676-4285. Disponível em: <http://objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/4090>. Acesso em: 27 maio 2020.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

GARCIA, L.P; RAMOS, B.G.Z. Gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde: uma questão de biossegurança. Cad Saúde Pública, v.20, n.3, p.744-752. 2004.

GOETTEN, L.F. Sensibilização dos profissionais de saúde para redução de resíduos sólidos de serviços de saúde [dissertação]. Curitiba: Universidade Tecnológica Federal do Paraná; 2013.

GOMES, A.M.P. Responsabilidade socioambiental: conhecimento dos profissionais da saúde sobre o gerenciamento de resíduos no serviço público. Dissertação de mestrado, da UNESP, São Paulo. 2015.

MAHLER, C. F.; MOURA, L. L. Resíduos de Serviços de Saúde (RSS): Uma abordagem qualitativa. RISTI, Porto , n. 23, p. 46-60, set. 2017 .

Disponível em <http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1646-98952017000300005&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 27 maio 2020.

MENDES W.C. et al. Conhecimento e prática de trabalhadores, profissionais e gestores sobre os resíduos de serviços de saúde. Rev. pesqui. cuid. fundam. (Online); Rio de Janeiro, vol. 7, Ed. 4, out.-dez. 2015.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: HUCITEC, 2007.

SILVA, J.T. et al. Gerenciamento de resíduos sólidos na atenção primária a saúde. Rev enferm UFPE on line, v. 13, n. 24. 2019. Disponível em: <https://doi.org/10.5205/1981-8963.2019.241518>. Acesso em 24 abr. 2020.

SILVA, I.T.S. et al. A enfermagem e o gerenciamento dos resíduos sólidos de serviços de saúde. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, vol. 6, núm. 3, julio-septiembre, pp. 1152-1161. 2014.

SILVA, I.T.S; BONFADA, D. Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde e Meio Ambiente: Percepção da Equipe de Enfermagem. Rev Rene [en linea]. 2012, v.13 n.3, p. 650-657. Disponível em: <https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=324027982018>. Acesso em: 24 abr. 2020.

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer? Einstein, v. 8, n 1, p. 102- 106, 2010. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/eins/v8n1/pt_1679-4508-eins-8-1-0102.pdf>. Acesso em 24 abr. 2020.

UEHARA, S.C.S.A.; VEIGA, T.B.; TAKAYANAGUI, A.M.M.. Gerenciamento de resíduos de serviços de saúde em hospitais de Ribeirão Preto (SP), Brasil. Eng. Sanit. Ambient. [online]. 2019, vol.24, n.1, pp.121-130. Epub Apr 01, 2019. Disponível em: <1809-4457. https://doi.org/10.1590/s1413-41522019175893>. Acesso em 24 abr. 2020.

ZANATTA, J.M. et al. Análise crítica da RDC-222/2018 à luz das dimensões do desenvolvimento sustentável: avanços e desafios. Rev. da Universidade Vale do Rio Verde, v. 1, n. 1, p.1, jan./jul. 2019.

Downloads

Publicado

28-10-2022

Como Citar

Cíntia Cristine da Silva, & Lucrécia Helena Loureiro. (2022). Resíduos de serviços de saúde e a educação permanente: uma revisão integrativa. Congresso Brasileiro De Ciências E Saberes Multidisciplinares, (1), 1–19. Recuperado de https://conferencias.unifoa.edu.br/tc/article/view/132

Edição

Seção

Ciências da Saúde (exceto Medicina)

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)